segunda-feira, 13 de julho de 2009

TÁXI SNIFADO



No derradeiro trajecto, calha-nos um jovem motorista. As mochilas são postas na traseira diminuta do típico Premier Padmini. Devido ao volume, o porta-bagagem não fecha. Um cordel atado remedeia a situação. Entardece e a luz do dia começa a escassear para alumiar estradas, prédios, pessoas, vacas, cães, anúncios pintados nas paredes. Estamos os dois colados às janelas, semiabertas para deixar entrar o cheiro típico que já não é estranho mas continua sem identificação. Absorvemos avidamente os derradeiros vislumbres desta terra. À medida que nos afastamos do centro, passamos por bairros cada vez mais degradados. Damos conta da grande velocidade a que seguíamos quando estacamos numa berma. O jovem não diz nada. Abeira-se com o nariz do tablier e aspira um pó espesso que jaz junto a uma estatueta de plástico de Ganesh. O deus com cara de elefante ilumina de forma intermitente por luzes de várias cores. O efeito de focos de discoteca estende-se a todos os ocupantes do veículo. É um Deus-eléctrico. O táxi preto e amarelo retoma a marcha desenfreada. Num cartaz promocional ao filme Ek Ajnabee lê-se “Go Bangkok”. Rimo-nos da ironia. E, por uma vez, aceitamos placidamente a sugestão.

2 comentários:

Luis Canau disse...

Amitabh Bachchan... Deve entrar em 90% dos filmes indianos :)

palmmor disse...

Sim, o grande Al Pacino indiano, eheh. O tipo é venerado na Índia, tipo pai da nação cinematográfica. Na altura ele andava adoentado e todo o país parecia suspenso sobre o desfecho. Lembro-me de ver a reaparição pública dele numa gala qualquer de prémios, de roupão... E tudo a aplaudir de pé. O maior este Big B. Ele tem um blogue em http://bigb.bigadda.com/